Enquanto o rádio pode parecer uma inovação antiquada, é realmente uma peça difundida da vida atual. Sinais de rádio de interruptores Wi-Fi, satélites de GPS, controles remotos Roku, medidores de água remotos, consoles bluetooth, estações de clima e até mesmo ecos da enorme explosão, todos mergulham o ar ao nosso redor.

Era praticamente impossível entrar em uma frequência de rádio há poucos anos atrás

Há não muito tempo, era geralmente difícil investigar esse mundo tremendo e indetectável. Os rádios AM / FM têm sido de má qualidade e prontamente acessíveis desde a promoção do transistor nos anos 60, mas os aparelhos que permitem sintonizar fora de freqüências como a banda 88 MHz-108 MHz de rádio FM eram raros e na maior parte custam um enorme número de dólares.

Mas com a tecnologia, tudo muda!

Tudo isso mudou em meados da década de 2010. Uma reunião de programadores descobriu que os chips que controlavam vários sintonizadores USB de TV avançados e de má qualidade poderiam ser reaproveitados para sintonizar uma variedade surpreendentemente extensa de frequências de rádio, de até 24 MHz a bem mais de 1000 MHz. Hoje, esses rádios caracterizados por produtos (SDRs) podem ser facilmente encontrados na web por valores bem convidativos. Assim, aqueles que desejam invadir rádios ou ouvir redes sem fazerem parte de tais redes conseguem, com sucesso, na maioria das vezes.

Rádios de aviões ou de navios podem ser hackeadas?

A resposta geral para este tópico seria sim, podem ser hackeadas, especialmente as rádios de navios, que funcionam em frequências mais comuns. Quando o assunto são aviões aí fica muito mais difícil invadir a rede de rádio, afinal frequências mais específicas são utilizadas. Mas, se você costuma voar de avião, não tenha medo, as frequências desses gigantes são muito bem protegidas por diversos protocolos de segurança.